quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

"Lost in my mind...I am lost in my mind ...I get lost in my mind"



O que há dois anos atrás escrevi sobre o "The Fighter" aplica-se na perfeição a este "Silver Linings Playbook". Filme simpático mas confesso que não percebo o motivo de tanto entusiasmo à volta do mesmo.

Imagem: reprodução

4 comentários:

Mafalda Azevedo disse...

Não podia concordar mais contigo. Repetindo as palavras do Luís Miguel Oliveira: "O prestígio de David O. Russell é um dos grandes mistérios do cinema americano contemporâneo. Por alguma razão (a que a poderosa máquina de mover influências dos irmãos Weinstein não será alheia) cada novo filme dele cria a expectativa de ser uma coisa de extraordinária importância, com imensos elogios e imensa repercussão na crítica mais “indexada” às rotas dos oscares (que não é, felizmente, toda a crítica americana). Depois vai-se a ver e aquilo não só não tem qualquer importância especial como nem é especialmente bom. (...) o filme de guerra em Três Reis, a comédia psicanalítica em I Heart Huckabees, o melodrama de boxe em The Fighter"

a mulher certa disse...

a realizaçao e os actores. eu percebo. a historia nada de especial.

Rachelet disse...

Indeed! Até a interpretação da pequena do Beasts of the Southern Wilderness brilha mais do alto dos seus 9 anos do que a da Jennifer e o Bradley, que, não estando mal, não considero Oscar-material. Um filme de tarde de fim-de-semana, intervalos para xixi, está visto e esqueceu.

sem-se-ver disse...

os actores e os diálogos. eis :)